Escrito por

​ Luciana Neder, Colunista| Vistas: 107

Leonardo Da Vinci, um gênio, criado por outro gênio, sua mãe.

Teria ela criado Leonardo para executar grandes coisas do mundo? Curiosamente, qual o significado da pintura? Reprodução de verdades vistas? Ou reprodução de verdades não vistas, mas sentidas com a profundidade da alma? Ah, a essas interessantes perguntas, só poderia responder, quem pintou na tela todo o segredo da vida, lá no século XV. Só para citar algumas maravilhas do nosso conhecimento, o mais famoso retrato pintado do mundo, é o da Mona Lisa, com seu olhar enigmático e duvidoso. Já o mais belo retrato pintado é o de Sant’Ana, carregando Maria, que está brincado com menino Jesus, que por sua vez está brincando com um cordeirinho. E a mais profunda realização artística do mundo, é a Última Ceia, com Jesus no centro entre apóstolos dizendo: Um de vós Me há de trair. Grande sacada de Da Vinci, ter escolhido esse momento peculiar do Evangelho de João. Até então as santas ceias tradicionais representavam Judas isolado, já como traidor. A pintura era um de seus admiráveis talentos, mas este artista e gênio foi além como inventor, escultor, músico, cientista, anatomista, arquiteto, e dizia ser a engenharia, a sua profissão. Sua genialidade e curiosidade infinita sobre o mundo, o levou a idealizar por conta própria, uma bicicleta voadora, se inspirando em asas de um pássaro. Esse gênio toscano queria voar centenas de anos antes do pai da aviação. Ele imaginou tecnologias futuristas e criou tantas obras. Para muitos, tecnologia é sinônimo de aparelhos eletrônicos e digitais, não a este gênio, que construiu tecnologia usando madeira e corda. Para Leonardo Da Vinci, A ARTE É UMA OBRA DE ARTE, um conhecimento racional para produzir coisas. Só para constar, anteriormente a este gênio, a muito mais de 500 anos atrás, todo o conhecimento era baseado em princípios e causas, tanto quanto a física, e o nome dessa cultura era FILOSOFIA. Porém, ele foi muito além do homem universal e através de sua genialidade, juntou a ARTE à CIÊNCIA, da forma como pensamos hoje. Ele disse: “Se o teu caminho é seguir as estrelas, nada pode alterá-lo.” Dá-lhe Leonardo da Vinci, filho do amor de Deus.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *